Toda Poderosa

 
 
“Deve-se temer mais o amor de uma mulher, 
do que o ódio de um homem.”
 Sócrates

Qualquer dia desses, eu estiquei o braço com o dedo em punho, e furei as nuvens só pra espiar o céu. Gritei bem alto por você, e a minha voz pareceu com um trovão assustador lá no Japão. Sem muita força, mexi na lua, mas era porque ela tava muito fininha; e aquela noite merecia uns flashs de luz, aliás, noite que eu fiz de uma tarde que tava com um sol de rachar minha pele morena.

Odeio guarda chuvas de tecidos impermeáveis, se faço chover, é porque quero ficar molhada por inteira. Quer saber? Agora me deu uma enorme vontade de saltar e ir até aí ver teu rosto enquanto me lês. É eu sou louca, mas o mundo está em minhas mãos. Por falar em minhas mãos, acabei de fazê-las em conchas e estou agorinha derramando umas ondas na praia. Queres ir tomar banho? Nadar? Vai lá, Podes ir! Mas lembre-me mais tarde de adoçar o mar. Detesto o sal temperando o teu gosto... 
 
Krol Rice

Comentários

Postagens mais visitadas