Prazo de Validade



Se eu esquecer,
Só lembrarei teus lábios
Ou dos beijos que lhe dei
Tato...

Nas vezes que asfixiei
Perdendo e roubando o ar
De tanto beijar
Hálito...

Se te esquecer,
Não mais estarei envolta
Ao que não queres volta
Lábios...

Nas vezes que me soltastes
Perdendo meu arbítrio de ficar
De tanto abandonar
Fato...



Participante do Concurso e do Livro lançado na bienal do RJ em setembro de 2011: 
V Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus de Poesia.

Comentários

Inghyson disse…
A.D.O.R.E.I!
P.E.R.F.E.I.T.O!

Postagens mais visitadas deste blog

(Nu)t(ação)

Crônica de um Dia de Sol Crônico

Triste Insônia