Dia de Pagamento - Vá Sem Máscara

A manhã caminha lenta debaixo do céu
Para atrasar a inevitável noite escura
o mundo e os sete mares evaporam para as nuvens,
E elas paga-nos em gotas de chuva
Aqui em baixo fumamos pensamentos
E estupramos camadas de ozônio,
E elas paga-nos com desastres
Eu pergunto-me melancolicamente
Porque tantas vezes me sentia triste,
Sentia uma ausência de sorrisos da máscara que eu tinha anteriormente
Enquanto em troca interioramente o álcool me fascinava
Em troca, sutilmente, tornei-me um zombie  nesta terra.
A isso retribui um dia ou outro,
Meu mundo girava como sufis em transe
Analisava minha alma, mas o meu inconsciente me confundia
Antes que chegasse a inevitável noite, parei
Além do horizonte, ainda sob o sol.
Nós morremos para renascer mais uma vez,
Preferi morrer á noite, lentamente, progressiva
Para sofrer todos os mistério que envergonharam
Em pagamento recebi a bula da minha alma
E enquanto o sol nascia, eu nasci num nirvana
Agora sem a face mascarada
Eu tento explorar esta terra respirando em sua entranhas.
Krol Rice

Comentários

Postagens mais visitadas