Amanhecer No Céu da Boca



Amanhecemos na vontade de abraçar toda a areia do mar num só corpo. Eu fico caladinha na ânsia de ver o sol ressucitar no mar. Tremo de frio antes da luz que surge devagar nas estrelas começam que a desaparecer uma após a outra no céu da sua boca, nas palavras que nada falam.
É nosso este mundo todo. És todo meu quando o brilho dos olhos confundem-se com o brilho úmido dos lábios que se entreabrem e mordiscam devagar entre os olhares que se cruzam e aquecem como o sol prestes a nascer.
Antes que amanheça, quero as horas inteiras no teu corpo que se erriça enquanto respiro teu pescoço, ombros, e peito, e os engulo na língua, nas mãos, nos dedos á explorar o teu corpo que se molha inteiro quando a garganta geme e os lábios se perdem naquela parte que as coxas se errigecem e logo relaxam no beijo que te tomo a ti por inteiro.
Mar em minha boca. Mergulho numa maré viva feita de músculos em descontroladas contrações nos meus lábios.
Sol em minha boca aquecida no prazer de devorar cada pedaço teu, da língua aquecida pelo atrito de roçar, lamber, dos dentes que mordiscam e te apertam até que vires vulcão.
Vulcão em minha boca com suas ondas de larva, maré de fogo derretido agitada pelo rítmo de tua respiração em qual me afogo por ter o teu gosto inteiro na minha boca.
Krol Rice

Comentários

Juju disse…
Bichinha danadeenha! Agora tá dando p/ escrever prosa poética! Precisa nem dizer q arrasa né?
beijo
tourism_fpr disse…
hummm...
Interessante!

Postagens mais visitadas