Soneto I


Volta! Não descansa o corpo meu,
Invejo quem dorme um sonho santo.
Castigo friamente o coração, e canto,
Querendo apagar dele o calor teu.

Onde foi que meu ideal te perdeu?
Tire - Peço - de mim esse pranto,
Eu não só quero - Eu desejo, tanto:
Desvendar, realizar cada desejo teu.

E tu foges confuso, e eu pra não mais sofrer:
Me iludo, esqueço, mas eu volto a chorar,
Lê: Esquece que continuo a te querer?

Finda a noite, mas insisto em sonhar,
Diz, (embora nada me faça te esquecer):
Poderás tu Amor algum dia me amar?

Comentários

Postagens mais visitadas