Devorar-Te



"Teus sinais
Me confudem da cabeça aos pés
Mas por dentro eu te devoro...”
 (Djavan)


Se vais deixar que eu te devore,
E mate minha fome de ti, quero na realidade
Devorar-te completamente, de uma vez.
(Juro não deixar-tei pela metade).

Metade você nem é, nem o quero assim.
Comerei quente ou frio (com brutalidade),
Não te transformarei em sobras.
Matando toda a minha vontade,

Não tenho mais medo do depois,
Do prazer que terei ou da infelicidade.
No depois já estarás dentro de mim.
Assim devorarei logo, sem piedade.

Eu comerei a começar pelo olhar
Que incredulamente lê minhas verdades;
Morderei teus lábios, tua pele, teu corpo,
Não mais com desejo. Com ferocidade

Eu beberei teu sangue, e suor,
E olhar, pensamento, e sanidade,
Teu ser, e estar, e o teu querer amar,
Todo você com toda intensidade.

Estou pronta a digerir o mais duro de ti:
Tuas fraquezas, tristeza e vaidade;
Rasgarei nos dentes teus desgostos,
A fome causou a minha agressividade

E antes que te arrependas,
Te devorarei com agilidade
Para não implorar por teus restos.
(O que não é nem ao longe minha prioridade).

Se quiseres me deixar te devorar,
Então que decidas com brevidade,
Antes que tu me mates,
De fome. Ou de ansiedade.

Comentários

jairo disse…
adorei seu blog vc e d+ valeuu
jairo disse…
q amar nao e so gosta de uma pessoa e um sentimento de carinho, confraternidade , e sobre tudo amor verdadeiro

Postagens mais visitadas