Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

Leia-Me

Imagem
Vê:
não saberei nunca
dizer adeus

Inda não morremos,
apenas dormimos
só os mortos souberam morrer.

Cabe ainda muita coisa,
há ainda tudo,
só nós não somos inteiramente.

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo.

Ou a paixão,
em momento nenhum,
é tarde.

Resta esse sossego
que eu não quero,
este exílio de ti...


Esta solidão de todos...


Cada parte de mim,
não resta de mim
nada que seja eu.

Alguma palavra minha
alcança o teu mundo,
eu sei...

Resta mais nada pra mim
ainda assim,
eu te procuro.

Ouço as mesmas canções
as que nos embalavam
eu ainda lembro.

Leia-me no seu vazio,
onde não há nada
ainda assim, escrevo.

A Paixão do Homem

Imagem
Não peno esse luto porque é preciso
Que as profecias sempre se cumpram
Que tua Paixão dure apenas meu fim de semana
E morra após, no terceiro dia
E que no teu quarto, me devolvas a alegria
Quando teu riso alinhar o universo
Enquanto um verso eu escrever na tua pele
E tua mão conter as catástrofes das guerras
E teu suor a cair no Japão, inundar a terra
Quando tua boca as fomes do mundo devorar
E as dores do mundo teu pé pisar
E que quando na sexta, a Paixão ressuscitar
E tu ao abrires os olhos teus
Fizer com que eu feche os meus...

Sono Inconformado

Imagem
Não me acorde agora,
Se você foi mesmo embora, 
Deixe-me, também, ausente.
Deixe-me estar inconsciente.
Posso viver o meu passado,
Mesmo sem ter acordado,
Levantar a cada dia,
E forjar uma falsa alegria,
Sentir o teu cálido afago,
Imaginar dormir em teus braços
E ao olhar-me no espelho,
Sentir-te entre meus cabelos,
Enxergar um riso meu,
Como se fosse um teu,
Percorrer os meus lábios.
Me abraçar em meus braços.
E ao longo desse triste dia,
Fingir que tenho tua companhia,
Para quando a noite chegar,
Dormindo poder sonhar,
Encontrando-te no meu quarto,
Jogar-me em teu cansaço
Sentindo nesta fantasia de união,
A mais ESTRANHA emoção,
Para quando a noite findar
Meu dia tú vir de novo encantar,
Vou continuar minha jornada,
Sem nunca estar acordada,
Deixe-me apenas dormir,
Pois só na minha mente assim
Não serás mais um ausente
E te terei sempre presente,
Em um corpo desfalecido,
De um amor jamais esquecido.,
Deixe-me ao menos sonhar
Não me deixe nunca - acordar...

Eu Sou a Pedra

Imagem
"Tinha uma pedra no meio do caminho" - Drummond

Eu sou uma pedra, e agora é tão fácil admiti-lo... Adjetivo estranho para alguém se encaixar. Não pássaro, borboleta ou brisa. Pássaros são livres, borboletas lindas, e a brisa é leve. E todos são tão leves que voam, flutuam, ou talvez seja o próprio vento.
Sou uma pedra: Comum, incômoda e pesada, resumindo: sou um incômodo peso comum, ou como queiram.
E ‘no meio do caminho tinha uma pedra’...(?) Como ela foi parar ali? Eu tenho uma hipótese:
Suponhamos que ela precipitou-se do lugar mais alto que pôde chegar. Coitada. Esqueceu por acaso por alguma fração de tempo que era pedra, que poderia voar. Imaginem! Pedras nunca voam. Pedras caem! Ou então ela nem soubesse da sua condição de rocha. Por acaso fizeram-na acreditar que era um pássaro, uma borboleta ou brisa sabe-se lá, essas coisinhas poéticas? A patética pedra se lançou do seu posto e caiu em algum chão por aí, e durante a queda acreditava que era um vôo. Tão livre e le…

Sete Coisas Que Eu Odeio Em Você

Imagem
Odeio teu olhar
Sinto-me estranhamente nua
Mesmo no meio da rua...

Odeio tua voz
Presa em minha garganta,
Mas minha respiração te conta...

Odeio teu sorriso
Me ruboriza a pele,
Faz queimar minha face em febre...

Odeio teu beijo
Que me tira a inocência
Me rouba a paciência...

Odeio tuas mãos
Que me arrancam o juízo
E me levam ao teu paraíso...

Odeio teus muros
Onde me prensas louco
Entre a parede e teu corpo...

Odeio quando me faz admitir
Meu odiado desejo:
Que irremediavelmente te desejo...

Casa da Mente

Imagem
Casa dividida não resiste.
Pego um livro qualquer,
Penso algo qualquer,
Em guerra eu me deito,
E cedo finjo que cedo.

A estratégia agora é nada.
É um instante sem guerra
E nada mais incita a guerra;
Nessas horas que não luto contra o fim
Há a verdadeira entrega de mim.

E nada mais excita minha mente
Do que a nudez de uma alma,
Que faz casa em minha alma,
Que eu dispo calmamente,
E a descubro sutilmente...

Nessas horas não luto contra nada
Descubro a entrega verdadeira
E arranco armaduras, e quebro trincheiras,
Ao menos a mente não mente,
Não há mais guerras em minha mente.

Eu Com Você

Imagem
Eu pareço um ser com vida quando estamos juntos.
É por isso que pareço não respirar quando não sinto teu ar;
E pareço não existir quando não percebo teu olhar em mim...

Trio de Promessas

Imagem
Eu te darei os beijos e as mãos que ficaram por vir...
Darei quando quiseres voltar:
Estórias que ficaram por cumprir e o que ficou por se sentir.
Ilusões que ficaram por existir,
Lembro que te esqueceste de mim e com teu amor não posso contar.

Eu te darei noites vazias que esperam que as preenchamos de nós...
Darei quando quiseres voltar:
Ecos que ficaram por soar e que nunca moraram na minha voz.
Intervalos de dias cheios de um nada que correm sem nós,
Lembro que sabes viver sem mim e com teu amor não devo contar...

Eu te darei uma a uma todas as vezes que ainda te espero...
Darei quando quiseres voltar:
Encontros secretos e escuros que há entre mim e o desespero
Instantes em que eu devaneio e as vezes que te quero,
Lembro que ainda que não contes com meu amor tu irás contar!

Devorar-Te

Imagem
"Teus sinais
Me confudem da cabeça aos pés
Mas por dentro eu te devoro...”
 (Djavan)


Se vais deixar que eu te devore,
E mate minha fome de ti, quero na realidade
Devorar-te completamente, de uma vez.
(Juro não deixar-tei pela metade).

Metade você nem é, nem o quero assim.
Comerei quente ou frio (com brutalidade),
Não te transformarei em sobras.
Matando toda a minha vontade,

Não tenho mais medo do depois,
Do prazer que terei ou da infelicidade.
No depois já estarás dentro de mim.
Assim devorarei logo, sem piedade.

Eu comerei a começar pelo olhar
Que incredulamente lê minhas verdades;
Morderei teus lábios, tua pele, teu corpo,
Não mais com desejo. Com ferocidade

Eu beberei teu sangue, e suor,
E olhar, pensamento, e sanidade,
Teu ser, e estar, e o teu querer amar,
Todo você com toda intensidade.

Estou pronta a digerir o mais duro de ti:
Tuas fraquezas, tristeza e vaidade;
Rasgarei nos dentes teus desgostos,
A fome causou a minha agressividade

E antes que te arrependas,
Te devorare…