Estranho Espelho



No estanho espaço do quarto vazio,
Á minha frente – uma imagem.
Ilusão intocável como uma fantasma viva,
Que me observa e me estranha.
(Visão de ignorância recíproca)
Levando as cortinas e dispo-me;
Cedo ao ser que me analisa obscuro
Que me atrai, me induz a mim, e
Procura o algo que eu procuro.
(Visão de curiosidade recíproca)
Meu estranho espelho estranho...
(Visão de indiscrição recíproca)
Só se nos descobrimos saberemos
O excitante perigo de penetrar-se e conhecer
A louca vertigem que tragou a Narciso,
A razão inerte. O mais inebriante prazer.
(Visão de êxtase e entrega recíproca)
Admirar-se além do que se pode ver;
O fascínio pela própria essência.
Por dentro dos olhos – o enigma virgem:
A alma na minha imagem.

Comentários

Postagens mais visitadas